Empresas de Ribeirão Preto investem em marketing a custo zero

Ao direcionarem recursos de impostos a programas sociais, corporações atraem atenção por meio de mídia espontânea; consultoria de Ribeirão faz a gestão e intermediação entre os projetos e empresas

A certeza de ver o próprio empreendimento no auxílio a outros e a tranquilidade de saber que recursos pagos em forma de impostos sejam empregados com qualidade e transparência. Além, como consequência, da geração de marketing espontâneo a custo zero.

Essas são as principais motrizes de empresários na hora de optar por contribuir com projetos oriundos de Leis de Incentivos Fiscais, capazes de dar uma nova cara à ações sociais, esportivas, culturais e inúmeras outras no País.

Na visão de Danilo Terra, diretor e consultor da Terra Incentivos Fiscais, uma tendência cada vez mais necessária. “As contrapartidas são a dedução de 100% do valor investido, ou seja, custo zero, o retorno de marketing para a empresa, permitindo a inserção da marca no projeto beneficiado e a possibilidade de acompanhar e visualizar a aplicação desses recursos. É uma prática de responsabilidade social para a empresa”, opina.

Dono de uma distribuidora de papeis, tapeçarias e revestimentos de abrangência nacional fundada em Ribeirão Preto, Samuel Passalacqua Filho usa o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) para ajudar a alavancar inúmeros programas. Fato que tem deixado a empresa em evidência. “Incentivamos as leis estaduais como o ProAc (Programa de Ação Cultural) e PIE (Programa de Incentivo ao Esporte), e todas as leis federais que tenham projetos aprovados: Rouanet (Lei de Incentivo à Cultura), PRONON (Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica), PRONAS (Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência) e Fundo do Idoso, por exemplo”.

A rede de hortifrutigranjeiros Cenourão também aderiu aos serviços da Terra Incentivos Fiscais na hora de redirecionar o pagamento de seus impostos. João Manoel Alexandre Puga, diretor da companhia, confirmou que a empresa aporta financeiramente dois programas estaduais: o ProAc e o PIE. “Incentivos fiscais hoje são de suma importância, pois, assim, as empresas podem direcionar seus recursos a programas que incentivam a Cultura e Esporte, tendo o acompanhamento de como seus recursos estão sendo utilizados”, afirma.

Ambos confirmaram que pretendem ajudar outros projetos sempre que possível.

 

‘Empurrãozinho’

A Terra Incentivos Fiscais, também em Ribeirão Preto, teve influência direta na decisão da Passalacqua e do Cenourão. A empresa oferece, gratuitamente, uma consultoria cujos objetivos são orientar acerca da destinação das doações e fornecer o máximo de informações possível para que corpos diretivos das mesmas estejam embasados e cientes dos benefícios de cada uma das Leis.

“O trabalho começa com a nossa consultoria e orientação referente a todas as leis de incentivo e o auxílio ao contador no entendimento, lançamentos e escrituração contábil das doações”, explica Danilo Terra.

“A escolha das leis e projetos de acordo com o perfil da empresa é o segundo passo. Nós auxiliamos na criação e definição do perfil de projetos e leis de incentivo junto ao departamento de responsabilidade social ou marketing da empresa”, conclui.